Café ou Chá? Tarô ou Astrologia?

Quando procurar Tarô ou Astrologia?

No mundo esotérico e ao que se refere as ferramentas de autoconhecimento, somos sempre bombardeados de diferentes técnicas e terapias que nos ajuda (ou dizem fazê-lo) em nossa evolução pessoal. Inegavelmente existem duas, no entanto, que estão no centro ou topo da lista dessas ferramentas: Astrologia (e seu mapa astral) e o Tarô (e suas consultas). É comum, no entanto, ter dúvidas sobre qual ferramenta escolher para esclarecer questões amorosas, profissionais, etc. Surge assim uma dúvida: quando procurar tarô ou astrologia?

Neste texto, que estreia nossa parceria com os amigos do Café com Astrologia, quero explicar um pouco quando cada uma se torna essencial na vida de buscadores como nós, e como utilizá-las. Além de elencar as diferenças, quero também comentar sobre o poder de ambas quando usadas em conjunto.

AS DIFERENÇAS

No livro “Curso Completo de Tarô”, do Nei Naiff, um dos meus autores favoritos, ele explana muito bem a atuação de cada um desses Oráculos (Astrologia e Tarô), dividindo-os genericamente em dois conjuntos, Oráculos do SER e Oráculos do ESTAR:

Basicamente os Oráculos do primeiro conjunto analisam a tendência da vida sem nunca considerar o livre-arbítrio do consulente. Fala sobre as possibilidades, dos acontecimentos, dos eventos, mas não falam sobre a reação que o consulente – quem consulta o oráculo – terá, ou poderia ter, diante deste ou daquele acontecimento. Com essa definição, são Oráculos do Ser: a Numerologia, Quiromancia, fisiognomonia (Quem inventou isso?? Consigo nem pronunciar! huehue !) e finalmente a Astrologia. Basicamente esse é o oraculo que buscaremos para responder perguntas como: QUANDO terei filhos? QUANDO casarei? QUAL a minha aptidão profissional? – Perguntas bastante abstratas e que não se referem as experiências diretas do consulente (O que ele vai ‘achar/sentir’ de cada um desses eventos).

O segundo conjunto, Oráculos do Estar, analisam a condição humana sem levar em conta a tendência da vida (visto no anterior). Entre Runas e I-Ching, é neste conjunto que encontramos o Tarô, e podemos dizer que eles expressam a potência de cada evento/situação/acontecimento com base no estado do consulente diante dos eventos; a reação do consulente em relação ao evento. Perguntas como Vou comprar o carro este ano? Vou namorar o Fulano? Vou ter um filho no próximo ano? – São melhores respondidas com Oráculos do ESTAR.

É dentro deste ótica que afirmo: tanto Astrologia quanto o Tarô são extremamente úteis: cada qual em lendo/interpretando um aspecto da vida (SER e/ou ESTAR);

PARTES DE UM TODO

É engano achar que “só” o Tarô ou só a Astrologia poderia ser autossuficiente na leitura de TODOS os aspectos da vida. Embora ambos sejam incrivelmente uteis, especialmente para nosso autoconhecimento, cada um vê apenas parte de UM TODO: Enquanto um Mapa Astral poderia explicar muito sobre sua personalidade e os eventos que o tornaram “SER” assim, ele jamais vai poder falar sobre sua experiência de “ESTAR” em cada um desses eventos.

Contudo, nenhuma ferramenta é mais importante do que a outra, pelo contrário, juntas Tarô e Astrologia se complementam, dando uma visão maior e mais profunda de UM TODO.

QUANDO?

Agora que já apresentei para você as diferenças, vamos responder a pergunta inicial: quando procurar o tarô ou a astrologia?

Eu posso me repetir e dizer o que milhões de tarólogos e/ou astrólogos já dizem: Para questões que envolvem sua vida, natureza e vocação um Mapa Astral e um bom Astrólogo poderá ser o ideal, enquanto que para momentos atuais, esclarecimentos rápidos e questões que abordem o presente, a experiência do consulente, que sejam transitórias e não se concentram em características da sua personalidade, certamente o Tarô e um bom Tarólogo é mais indicado.

Contudo, em verdade, digo que o melhor é consultar ambos! Sim, ambos! Quando se fala de Autoconhecimento, nunca é demais saber sobre si mesmo. Quanto mais profundo se mergulha em si, maior é a transformação do ser. Assim, existem diversas métodos de leitura do Tarô que nos fornecem informações precisas e ideais para nosso momento atual com referencia a nossa personalidade (caso do método conhecido como ‘Referencial de Nascimento’, falarei sobre em outra ocasião), que se somadas a um Mapa Astral torna-se fantástica, em um nível tal, que dispensa praticamente qualquer outra ferramenta!

Métodos como a Mandala Astrológica, ainda falando do Tarô, que leva em consideração as Casas do Zodíacos, poderiam ser melhor analisados se tivéssemos o Mapa do Consulente (falo por experiência própria!), e assim bem mais proveitosa do que apenas uma leitura do Tarô.

CHÁ OU CAFÉ?

Assim sendo, a pergunta real deveria ser QUANDO procurar o Tarô como Complemento da Astrologia, e a resposta é bastante simples: QUANTO o consulente esta disposto a uma busca mais profunda e tangível de si mesmo(?!).

Seja um Chá (com tarô) ou um Café (com Astrologia), o ideal é que sirva ao consulente como uma ferramenta de transformação e evolução pessoal, e quanto mais profundo se vai no mar do autoconhecimento, maior essa transformação será!

Espero que esse texto o/a ajude a decidir QUANDO trazer ao mundo uma transformação real, ao invés de quando consultar um ou outro oráculo, e tenho certeza que os Amigos do Café com Astrologia concordam comigo ao dizer que você é bem-vindo/a a tomar um Chá/Café ou “Chafé” conosco!

Enjoy


Photo credit: magro_kr via VisualHunt / CC BY-NC-ND

 

Comentários

comments

Related Posts